Três Lagoas/MS, Quinta-Feira, 16 de Julho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Quarta-Feira, 03 de Junho de 2020, 07h:29
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Governo determina quarentena e Moro terá de ficar seis meses sem advogar

Por Marco Eusébio

Da coluna Entrelinhas da Notícia
Artigo de responsabilidade do autor

Marcelo Camargo/Agência Brasil

ColunaMarcoEusébio

Sérgio Moro continuará recebendo salário de ministro, enquanto não puder advogar

A Comissão de Ética Pública da Presidência decidiu que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro deve cumprir período de quarentena e não poderá advogar por seis meses, a contar do dia 24 de abril, quando ele saiu do governo. Neste período ele continuará recebendo o salário de ministro, de R$ 31 mil, poderá dar aulas e escrever artigos. Medida semelhante, conforme aqui divulgado, foi tomada pela comissão em relação ao ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. A lei prevê quarentena para ex-ministros voltarem a atuar no setor privado para evitar o uso de informações privilegiadas.

 

 

LEIA A COLUNA DE HOJE CLICANDO AQUI EM MARCO EUSÉBIO IN BLOG

 

 



 


 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix