Sexta-feira, 14 de Junho de 2024


Cotidiano Quarta-feira, 07 de Setembro de 2022, 13:34 - A | A

Quarta-feira, 07 de Setembro de 2022, 13h:34 - A | A

Três Lagoas

Campanha “Agosto Lilás” orientou mais de 500 mulheres

Da Assessoria

Divulgação/PMTL

Campanha “Agosto Lilás” orientou mais de 500 mulheres em ações de conscientização

..

Durante o mês de agosto, a Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), por meio do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência “Halley Coimbra Ribeiro Junqueira” (CRAM), realizaram uma série de ações de conscientização em alusão ao “Agosto Lilás”, uma campanha de conscientização em relação à violência contra a mulher.


No decorrer do mês as equipes realizaram entrevistas nos veículos de comunicação de Três Lagoas, alertando a população a respeito das formas de identificar um relacionamento abusivo e como denunciar o agressor, também foram realizadas palestras abordando o mesmo assunto que orientaram 363 pessoas ao longo do mês de agosto.

As equipes do CRAM realizaram um workshop na UFMS, voltado para os profissionais da educação, totalizando 139 participantes, que discutiram o assunto e em como inserir na educação das crianças e adolescentes de Três Lagoas.

A coordenadoria da mulher realizou mais uma edição do café com prosa, onde as mulheres trocam experiências e se fortalecem, e como encerramento, foi oferecido um dia da beleza para as mulheres atendidas pelo CRAM, para proporcionar bem-estar e fortalecer a sua autoestima.

A campanha
Agosto Lilás é uma campanha de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, instituída por meio da Lei estadual nº 4.969/2016 e da Lei Municipal nº 3.340/2017, com o objetivo de intensificar a divulgação da Lei Maria da Penha, sensibilizar e conscientizar a sociedade sobre o necessário fim deste tipo de violência e divulgar os serviços especializados da rede de atendimento à mulher em situação de violência e os mecanismos de denúncia existentes.

O trabalho articulado entre a rede de atendimento à mulher composta por CRAM, Coordenadoria da Mulher, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Delegacia da Mulher, PROMUSE, Defensoria Pública, Ministério Público, Poder Judiciário, Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Educação e Cultura (SEMEC), se mostra muito valioso no enfrentamento à violência contra a mulher.

Comente esta notícia