00:00:00 Terça-feira, 16 de Julho de 2024


Cotidiano Quarta-feira, 21 de Junho de 2017, 15:32 - A | A

Quarta-feira, 21 de Junho de 2017, 15h:32 - A | A

EXTINÇÃO

Corumbá, Três Lagoas e outras nove cidades de MS devem perder zonas eleitorais

Decisão do TSE tem causado polêmica já que eleitores teriam de mudar de local para votar

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Deurico/Capital News

Foto ilustrativa de urna eletrônica, eleição, votação, pleito

Onze cidades de MS podem ter zonas eleitorais suspensas

Onze cidades de Mato Grosso do Sul devem ter zonas eleitorais extintas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A proposta de autoria do presidente do órgão, Gilmar Mendes, tem causado polêmica e atingiria ainda mais cidades já que inicialmente 26 municípios estavam na lista dos que teriam menos locais de votação. Entre as principais cidades estão Corumbá, Ponta Porã e Três Lagoas.

O recuo na decisão de diminuir o número de afetadas com a perda de zonas eleitorais foi exposto pelo deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), que se encontrou na última segunda-feira (19) com prefeitos e parlamentares no plenário da Assomasul. Os deputados estaduais aprovaram, inclusive, nesta terça-feira (20), uma moção de repúdio contra a resolução.

A principal crítica dos parlamentares é que a exclusão de algumas seções dificultará o acesso dos eleitores em várias cidades. Em alguns casos, a pessoa terá de andar até 200 km para conseguir votar ou fazer outros serviços como fazer o título ou alterar algum dado.

Segundo a portaria do TSE, a densidade demográfica seria utilizada para calcular a necessidade de uma zona eleitoral. O presidente da Assomassul, Pedro Caravina, alega que haverá acúmulo de demandas nas zonas que irão incorporar as extintas, além do fato de se ampliar o número de processos, de eleitores e candidatos nessas unidades, que deverão ser atendidos pelo mesmo promotor e juiz.

Em Três Lagoas, por exemplo, a proposta é que a 51ª zona eleitoral seja excluída. Esta é a maior zona eleitoral da cidade, com 183 seções e 43.983 eleitores e responsável por 58% do eleitorado da cidade. A tendência é que a Justiça transfira os eleitores para 9ª Zona Eleitoral, que hoje tem 31.147 eleitores e 101 seções.

Além das cidades citadas, também deverão ter zonas eleitorais extintas em Porto Murtinho, Pedro Gomes, Rio Negro, Deodápolis, Inocência, Nioaque, Sete Quedas e Anaurilândia.

Comente esta notícia