00:00:00 Sábado, 20 de Julho de 2024


Cotidiano Quarta-feira, 24 de Maio de 2017, 18:33 - A | A

Quarta-feira, 24 de Maio de 2017, 18h:33 - A | A

EFEITO DELAÇÃO

Grupo de Joesley Batista pode vender indústria de celulose em Três Lagoas para salvar JBS

Fábrica está entre as possíveis opções de venda, segundo jornal

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Bruno Chaves/Arquivo Capital News

Eldorado Brasil, fábricas de celulose, produção de eucaliptos

Empresa estaria entre as possíveis opções de venda do grupo J&F

A indústria de celulose Eldorado Brasil, em Três Lagoas, poderá ser ‘vítima’ dos efeitos da delação premiada feita por Joesley Batista, na última semana. Comandada pelo grupo J&F, a fábrica poderá ser vendida pelos irmãos Batista que cogitam vender alguns dos negócios para preservar a rede de frigoríficos JBS, principal afetada com as declarações.


Conforme o Jornal Valor Econômico, empresas como a Vigor, Eldorado e Flora (higiene e limpeza), e mesmo as companhias nas quais ainda não tinha esses planos, como Alpargatas estariam entre as possíveis vendas do grupo. Ainda segundo o jornal, diversos bancos estariam interessados em participar da compra dos ativos da holding.

Portal no Ar

OAB defende apuração urgente das denúncias contra Temer

Joesley e Wesley Batista, comandam o grupo J&F, a fábrica Eldorado poderá ser vendida pelos irmãos Batista

Já vislumbrando essa possibilidade, as ações da JBS subiram 9,53% na última terça-feira (23) após a possibilidade de a J&F acelerar a venda de empresas. A estratégia de vender ativos se dá como forma de preparação para um eventual pagamento de multas diante das investigações envolvendo a JBS.

As denúncias envolvendo o grupo e os representantes dos fundos Petros e Funcef, no entanto, poderiam dificultar a negociação da Eldorado Brasil, que é alvo de quatro operações da Polícia Federal- três delas investigam possíveis fraudes em fundos de pensão de estatais. Na delação, Joesley admitiu que a empresa foi construída por meio da propina que facilitou financiamentos à companhia.

Comente esta notícia