00:00:00 Sábado, 20 de Julho de 2024


Cotidiano Quinta-feira, 20 de Julho de 2017, 13:13 - A | A

Quinta-feira, 20 de Julho de 2017, 13h:13 - A | A

ENCONTRO

Guerreiro e presidente da Fiems se reúnem para discutir avanços do Porto Seco em Três Lagoas

Reunião acontece na próxima semana, na capital, com a presença de empresários

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Divulgação/Fiems

Guerreiro e presidente da Fiems se reúnem para discutir avanços do Porto Seco em Três Lagoas

Encontro entre Guerreiro, Longen e empresários do setor acontece na próxima semana, em Campo Grande

O prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro, se reúne na próxima semana, em Campo Grande, junto ao presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Longen, empresários e o Secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, para tratar sobre os avanços do Porto Seco do município.

Conforme Receita Federal, Porto seco ou Estação Aduaneira Interior (EADI) é um terminal intermodal terrestre diretamente ligado por ferrovia, rodovia e, em alguns casos, também aeroporto. Sua vantagem é proporcionar mais rapidez no processo de desembaraçamento aduaneiro das operações de exportação e importação.

Guerreiro confirmou a presença da reunião e se mostrou confiante na concretização do projeto. “Irá beneficiar não só o município, como todo o Estado, pois deverá atrair investimentos de outros segmentos, favorecendo o potencial econômico de Mato Grosso do Sul”, disse Angelo Guerreiro.

Os portos secos possuem instalações para armazenamento e consolidação de mercadorias, manutenção de transportadores rodoviários ou ferroviários de carga, além dos serviços de desalfandegamento. Com o uso dos portos secos, as mercadorias exportadas já chegam aos portos marítimos prontas para o embarque, enquanto que no caso das importações pode-se tirar as mercadorias dos portos marítimos mais cedo, onde a armazenagem custa substancialmente mais caro.

Atualmente, existem 57 portos secos em funcionamento no país, assim distribuídos por unidades da federação: Amazonas (1); Distrito Federal (1); Goiás (1); Mato Grosso (1); Mato Grosso do Sul (1); Pará (1); Pernambuco (1); Bahia (2); Rio de Janeiro (3); Santa Catarina (3); Minas Gerais (4); Espírito Santo (4); Paraná (5); Rio Grande do Sul (6) e São Paulo (25).

Comente esta notícia