00:00:00 Sábado, 20 de Julho de 2024


Cotidiano Quarta-feira, 26 de Abril de 2017, 17:18 - A | A

Quarta-feira, 26 de Abril de 2017, 17h:18 - A | A

APROVADO

Senado elege Três Lagoas como Capital Nacional da Celulose

Projeto de autoria da senadora Simone Tebet irá à votação na Câmara dos Deputados

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Reprodução

Senado elege Três Lagoas como Capital Nacional da Celulose

Cidade tem duas das maiores empresas do ramo e novas linhas de produção estão em construção

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou, nesta terça-feira (25), o Projeto de Lei do Senado (PLS) que confere o título de Capital Nacional da Celulose a Três Lagoas. O PLS é de autoria da senadora Simone Tebet (PMDB/MS) e agora segue para votação na Câmara dos Deputados. A cidade já é, desde 2013, considerada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, a Capital Mundial da Celulose.

A autora do texto explica que em 2009, quando a Fibria (uma das maiores fábricas de papel do mundo) se instalou na cidade, a capacidade de produção era de 1,3 milhão de toneladas de celulose por ano. Em 2012, a Eldorado Brasil colocou em operação a segunda fábrica do município, com capacidade produtiva de 1,7 milhão de toneladas – somando, portanto, 3 milhões de toneladas anuais.

De acordo com Simone Tebet, essa produção saltará nos próximos anos para 7 milhões de toneladas anuais, pois as duas indústrias já iniciaram o processo de duplicação de suas plantas, com investimento privado que pode girar em torno de R$ 16 bilhões.

Segundo a senadora, informações do IBGE apontam que o número de trabalhadores assalariados em Três Lagoas aumentou 87,6% entre 2009 e 2013. Impacto significativo registrou-se também na renda dos trabalhadores: o salário médio mensal no mesmo período teve um incremento de 14,8%, subindo de 2,7 salários mínimos para 3,1 salários mínimos. O título de capital nacional da celulose, conforme a parlamentar, refletirá o que a atividade produtiva proporcionou de crescimento ao município.

Em seu relatório pela aprovação da proposta, o senador Dário Berger (PMDB-SC) afirma que o título representará o reconhecimento "à capacidade empreendedora da gente de Três Lagoas, que não se intimida diante das crises e adversidades. A iniciativa em tela é, sem dúvida, pertinente, oportuna, justa e meritória", diz ele em seu relatório.

Comente esta notícia