00:00:00 Domingo, 21 de Julho de 2024


Cotidiano Quinta-feira, 16 de Março de 2017, 17:18 - A | A

Quinta-feira, 16 de Março de 2017, 17h:18 - A | A

UFN3

TCU libera e fábrica da Petrobrás em Três Lagoas deve ter venda concluída

Petrobrás já admitiu a intenção de vender fábrica e já negocia com consórcio chinês

Gian Nascimento
Capital News

Divulgação

TCU libera e fábrica da Petrobrás em Três Lagoas deve ter venda concluída

Resta ainda pouco menos de 20% das obras a serem concluídas

O Tribunal de Contas da União (TCU) liberou nesta quarta-feira (15) a venda de aditivos da Petrobrás, que estava suspensa desde dezembro do ano passado. Desta forma, a Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN3), que está com as obras paralisadas há dois anos, deve ser uma das fábricas vendidas.

 

Na última sexta-feira (10), o governador Reinaldo Azambuja e a bancada de Mato Grosso do Sul em Brasília se encontrou com o presidente da Petrobrás, Pedro Parente, que confirmou a intenção de vender a UFN3, já negociando inclusive com um consórcio chinês, que além de assumir a sede, arcaria com as dívidas com os fornecedores da cidade, que já superam R$ 38 milhões.

 

A Petrobrás já confirmou em nota que não pretende seguir no ramo de fertilizantes e a liberação do TCU foi visto como uma vitória para os políticos sul-mato-grossense. O senador Pedro Chaves comemorou a decisão. “Com a liberação, a Petrobras, que decidiu sair de vários setores onde atua para se concentrar somente na produção e comercialização de petróleo e gás, vai colocar a UFN-3 oficialmente à venda e dar continuidade às tratativas que vinha mantendo com grupos internacionais interessados em adquirir a fábrica. Os novos investidores concluirão as obras e iniciarão a produção, gerando empregos e riquezas para o nosso estado”, afirmou.

 

Atualmente a unidade em Três Lagoas tem 82% dos trabalhos feitos, porém está há dois anos parada. A conclusão das obras na UFN3 deve ser feita poucos meses após a definição do negócio com o novo consórcio. Para isso, deverão ser contratados aproximadamente sete mil funcionários.

 

O grupo que assumir a unidade deverá receber também as dívidas que a empresa carrega na região desde 2014, quando foi rompido o contrato entre Petrobrás e o Consórcio UFN3. “Ele nos antecipou que a estatal está negociando com um consórcio chinês, que concluirá a obra e pagará as dívidas que a Petrobras tem com centenas de fornecedores em Três Lagoas, que , somadas, superam os R$ 38 milhões. Isso vai ser um grande alívio para a população  do município”, disse Pedro Chaves.

 

Em visita agendada para o próximo dia 29, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja, deverá apresentar novidades sobre o processo de negociação e possíveis prazos para a retomada das obras na fábrica.

Comente esta notícia