00:00:00 Quinta-feira, 25 de Julho de 2024


Economia Quinta-feira, 22 de Junho de 2017, 11:54 - A | A

Quinta-feira, 22 de Junho de 2017, 11h:54 - A | A

MERCADO FINANCEIRO

Fibria entra na concorrência pela compra da Eldorado

Empresa se junta à Arauco e oficializa intenção de assumir controle da fábrica em Três Lagoas

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Bruno Chaves/Arquivo Capital News

Silvicultura, cultivos florestais, cultivo florestal, fábricas de celulose, produção de eucaliptos, eucalipto

Fibria anunciou oficialmente intenção na compra e já teria até feito proposta ao grupo J&F

A Fibria oficializou nesta quarta-feira (22) a intenção de comprar a Eldorado Brasil. Maior produtora de celulose do mundo, a empresa assume assim concorrência com o grupo chileno Arauco, que ofereceu R$ 11 bilhões pela indústria com sede em Três Lagoas e já tem inclusive um acordo de confidencialidade assinado junto a J&F, grupo do empresário Joesley Batista, que comanda a Eldorado.

 

Conforme informação do jornal Valor Econômico, a Arauco está à frente no negócio, porém, com a entrada da Fibria nas negociações, pode tomar novo rumo. O grupo brasileiro Suzano Papel e Celulose também havia demonstrado interesse na aquisição da Eldorado, porém, afastou a possibilidade e apenas acompanha o andamento das negociações, sem se comprometer.

A Votorantim, controladora da Fibria, já teria inclusive levado uma proposta à J&F, para se manter na disputa. Em nota ao jornal, a Fibria destacou que "avalia e monitora constantemente oportunidades de crescimento por meio de aquisições de ativos estratégicos que agreguem valor para a companhia e contribuam para manter o seu papel de liderança no setor", acrescentando que"apesar de interesse, até o momento não se vinculou de forma alguma a uma operação de compra dos ativos da Eldorado Celulose S.A."

O negócio estaria aberto já que o acordo de confidencialidade assinado entre Arauco e J&F não garante exclusividade. O grupo chileno, que produz 3,9 milhões de toneladas por ano, com receita de US$ 3,8 bilhões vê a compra da empresa como uma oportunidade de abrir portas no Brasil. Já a Fibria deseja se consolidar ainda mais na liderança do mercado, já que fatura quase R$ 10 bilhões de receita líquida e produz 5,6 milhões de toneladas ao ano.

Comente esta notícia