CapitalNews

Sexta-Feira, 23 de Novembro de 2018, 15h:50

Fornecedores tentam receber R$ 120 milhões pelo Consórcio UFN 3

A dívida chega à R$ 36 milhões e cerca de 70 empresas de outras cidades do país, estão com os prejuízos desde 2014

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Divulgação

Justiça libera venda da unidade da Petrobrás em Três Lagoas

Cerca de 70 empresas têm em torno de R$ 36 milhões para receber do consórcio UFN3

Fornecedores de Três Lagoas trazem uma dívida há anos, dada pelo Consórcio UFN 3 (formado pelas empresas Sinopec e Galvão Engenharia), que era responsável pela construção da fábrica de fertilizantes nitrogenados da Petrobras.

 

A dívida chega à R$ 36 milhões e cerca de 70 empresas de outras cidades do país, estão com os prejuízos desde 2014. Segundo o site JP News, a dívida desse novo grupo, formado recentemente para acompanhar a recuperação judicial das empresas, soma R$ 120 milhões. 

 

A Petrobras rompeu o contrato com o consórcio, sob a alegação de que as empresas não cumpriram com o que estava no contrato. Em agosto deste ano, a Sinopec Brasil entrou com um pedido de recuperação judicial no Rio de Janeiro. 

 

Na proposta, exemplifica que 15% do crédito à vista ou 30% a receber em dez anos, e pagamento o valor advindo de duas ações promovidas em face da Petrobras, as quais podem ou não serem procedentes. Ainda segundo os credores, em nota divulgada à imprensa, “esta disparidade entre as propostas da Sinopec aos credores brasileiros é verificada pelo tamanho da companhia asiática no setor petrolífero mundial: trata-se do maior fornecedor de produtos petroquímicos da China e maior empresa de refino do mundo. Em 2017, foi a terceira colocada entre as 500 maiores da Fortune Global, da Forbes.”

 

Os empresários, alegam que a empresa Sinopec não apresenta uma proposição real para dar continuidade a seus negócios no Brasil, o que é “uma anomalia “ao processo de recuperação judicial.

 

 

A Petrobras negocia a unidade em Três Lagoas e vai deixar o mercado de fertilizantes. Empresários russos já demonstraram interesse na compra da fábrica.


Fonte: CapitalNews

Visite o website: wwww.capitalnews.com.br