Três Lagoas/MS, Domingo, 05 de Dezembro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Sexta-Feira, 14 de Maio de 2021, 15h:41
Tamanho do texto A - A+

Em MS, Bolsonaro elogia agricultores por não pararem de trabalhar na pandemia

Durante a entrega o Presidente elogiou trabalho dos agricultores

Laryssa Maier
Capital News

Reprodução/TV Brasil

Em MS, Bolsonaro elogia agricultores por não pararem de trabalhar na pandemia

Somente no Projeto de Assentamento Santa Mônica, 307 famílias receberam o instrumento de posse definitiva dos lotes

Nesta sexta-feira (14) o Presidente Jair Bolsonaro (sem partido), participou da entrega  de 307 títulos de posse de terra a agricultores familiares da comunidade Santa Mônica em Terenos (MS).

 

Bolsonaro elogiou o afinco dos trabalhadores do campo, que a situação do país estaria muito pior caso os mesmos tivessem parado suas atividades em decorrência da pandemia. O presidente voltou a criticar as medidas de isolamento social. “Se vocês do campo tivessem ficado em casa, a exemplo do pessoal engravatado das cidades, as cidades teriam sucumbido”, disse o presidente.

 

O Presidente criticou o isolamento social enquanto instrumento de combate à pandemia “Vocês sofreram muito com medidas restritivas sem qualquer comprovação científica. Não existe comprovação científica de lockdown. Não existe. Quase quebraram o Brasil ano passado para atingir o governo. Não conseguiram porque eu falei que só Deus me tiram de lá”, disse Bolsonaro.

 

Presente no evento, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, A partir de hoje, esses produtores são independentes e podem fazer o que quiserem [com a terra] porque o título é de vocês. Vocês são donos da vida de vocês”, disse ao anunciar a assinatura do programa Titula Brasil, criado para apoiar a titulação de assentamentos e de áreas públicas rurais da União e do Incra passíveis de regularização por meio de parcerias com os municípios.

 

De acordo com o presidente, o país vive uma crise hidrológica devido à dificuldade para passar linhas de transmissão de energia elétrica em territórios indígenas.“E, por causa disso, gastamos mais de R$ 1 bilhão por ano em subsídio para que o povo de Roraima tenha energia elétrica”explicou.

1 COMENTÁRIO:

É só avisar a besta que no campo quase não há aglomeração, e que o povo trabalha ao ar livre. A cidade é quase um sinônimo de aglomeração!
enviado por: Edwaner Bondarczuk em 14/05/2021 às 22:12:57
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix