Três Lagoas/MS, Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Segunda-Feira, 29 de Novembro de 2021, 09h:57
Tamanho do texto A - A+

Reestruturação da Polícia Civil avança na política salarial

Proposta prevê progressão de 21 anos até topo da carreira

Silvio Ferreira
Capital News

 

Arquivo/Portal do MS

Reestruturação da Polícia Civil avança na política salarial

Agentes, peritos e delegados terão reestruturadas promoções até o topo das carreiras após 21 anos.

A proposta de reestruturação das carreiras da Polícia Civil de Mato Grosso do Sulque começou a tramitar na Assembleia Legislativa na semana passada, prevê 21 anos de exercício das funções de agentes, peritos e delegados até o topo das carreiras. Elaborado pelo Governo do Estado e validado pelo movimento sindical.


“A reestruturação objetiva trazer melhorias ao sistema remuneratório dos delegados e policiais, modificando tabelas, destravando as carreiras e melhorando as promoções e progressões funcionais”, diz a mensagem do governador Reinaldo Azambuja enviada à Casa de Leis.

O projeto de lei cria uma quarta classe para a carreira de Delegado da Polícia Civil, que terá um total de cinco classes: especial, primeira, segunda, terceira e quarta. Os interstícios (intervalos) entre promoções para delegados será de seis anos da 4ª para a 3ª classe; de 5 anos da 3ª para a 2ª classe; de 5 anos da 2ª para a primeira classe, e de 5 anos da 1ª para a classe especial.

 

Já as carreiras de agente de Polícia Judiciária, perito Oficial Forense, perito Papiloscopista e agente de Polícia Científica passam a se desdobrar em quatro classes (terceira, segunda, primeira e especial) e sete referências para fins de promoção funcional, com tempo de interstício de quatro anos.

 

O projeto de lei cria um sétimo nível de progressão funcional para todas as carreiras da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, viabilizando o aumento da remuneração ao longo de toda a vida funcional do servidor.

 

“Ajustamos o projeto conforme pedidos da categoria. Adequamos o que era possível sem ferir a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) e o equilíbrio fiscal do Estado. Chegamos a um denominador comum", destacou o governador Reinaldo Azambuja.

 

Para as novas regras valerem, os deputados precisam aprovar o projeto ainda neste ano. Pela projeção da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), as novas regras devem valer a partir de 1º de janeiro de 2022.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix