Três Lagoas/MS, Segunda-Feira, 24 de Janeiro de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Segunda-Feira, 22 de Novembro de 2021, 10h:49
Tamanho do texto A - A+

Gestão e manejo garantem sucesso da Bovinocultura de Leite

Projeto mostra resultados em propriedades de Mato Grosso do Sul

Silvio Ferreira
Capital News

A. Ramos/Capital News

Foto ilustrativa de pasto, gado, vaca, criação de gado, Agropecuária

Estudo aponta que manejo adequado do rebanho e das pastagens é fundamental para garantir rentabilidade do negócio a médio e longo prazos

Estudo realizado em propriedades voltadas para a produção de leite em Mato Grosso do Sul, apontou como tornar a atividade economicamente rentável por meio de técnicas para aumento a produtividade e redução dos custos com benfeitorias. O projeto Campo Futuro, da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Cepea-Esalq/USP analisou dados de propriedades de bovinocultura de leite nos municípios de Camapuã, Paranaíba e Glória de Dourados. 

 

Rentabilidade a médio e longo prazos 

A receita das propriedades modais de Camapuã e Paranaíba cobriram o COE (Custo Operacional Efetivo), mas não o COT (Custo Operacional Total) e o CT (Custo Total). Portanto, a médio e longo prazos elas não se mantêm viáveis economicamente, impossibilitando a renovação de máquinas, implementos, equipamentos e utilitários ao fim de sua vida útil. Em Glória de Dourados, a atividade leiteira foi eficiente economicamente, se mantendo no médio prazo, mas não no longo prazo. Em Camapuã a quantidade de vacas em lactação pelo total do rebanho é de 32,7% e 53,3% pelo total de vacas. Em Paranaíba esses valores são de 32,3% e 55,5% respectivamente. Em Glória de Dourados, 36,3% e 71,4% na mesma ordem 

 

Manejo adequado do rebanho e das pastagens 

A analista técnica do Sistema Famasul, Fernanda Oliveira, explica que o manejo adequado pode aumentar a produtividade como forma de alternativas para reduzir os custos. 

“Elevar a produtividade dos sistemas, com aumento do desempenho produtivo das vacas em lactação, dividindo-as em lotes por produtividade, para racionalizar o fornecimento de ração é uma alternativa para diluir os custos e tornar esses indicadores positivos”. 

 

Outra ação é melhorar o manejo das pastagens, para aumentar a quantidade e qualidade das forragens, a lotação animal e melhorar a condição nutricional das vacas. “Com essa prática é possível reduzir a idade ao primeiro parto das primíparas e o intervalo entre partos, chegando à porcentagem ideal de 45% das vacas em lactação pelo total do rebanho e 85% pelo total de vacas da propriedade”, acrescenta. 

 

Perfil genético 

Em relação a genética, as propriedades dos municípios de Camapuã e Paranaíba, utilizam o meio sangue Girolando para o rebanho, e em Glória de Dourados, as raças Holandesa, Jersey e Girolando 7/8. Todas as propriedades utilizam ordenha mecânica e ordenham duas vezes ao dia. 

 

Campo Futuro

O Projeto é uma ação da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) e Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), em parceria com o Cepea-Esalq/USP (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), tendo como metodologia a identificação da propriedade típica da região, através da técnica de painel para levantamento dos coeficientes técnicos e custo de produção. 

 

O Senar de Mato Grosso do Sul oferece Assistência Técnica e Gerencial aos produtores rurais em diversas cadeias produtivas, entre elas em bovinocultura de leite, com orientações adequadas sobre gestão e manejo para que a propriedade se torne ambientalmente e economicamente sustentável.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix