Três Lagoas/MS, Sexta-Feira, 21 de Janeiro de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quarta-Feira, 01 de Dezembro de 2021, 17h:41
Tamanho do texto A - A+

Seca grave afetou 36 dos 79 municípios de MS em outubro

Selvíria, Paranaíba e Aparecida do Taboado foram os mais afetados

Silvio Ferreira
Capital News

Chico Ribeiro/Portal MS

Seca grave afetou

Os efeitos da seca no rio Perdido, em Bonito

A maior parte dos  municípios de Mato Grosso do Sul (36) enfrentou seca considerada grave no mês de outubro.
 
Três deles - Selvíria, Paranaíba e Aparecida do Taboado, todos na região do Bolsão - sofreram com seca excepcional, quando há perdas nas lavouras e pastagens de forma excepcional e generalizada.
 
Dezesseis municípios registraram seca extrema e outros 24 municípios tiveram seca moderada, que provoca alguns danos às lavouras e pastagens; córregos, reservatórios ou poços ficam com níveis baixos, pode ocorrer falta ou restrições voluntárias de uso de água em algumas regiões e a escassez de água nos reservatórios, córregos e poços de água, criando situações de emergência.
 
Os dados constam no Boletim do  Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec/MS), do Monitor de Seca da  Agência Nacional das Águas (ANA).
 
Em grande parte dos municípios, o volume de chuvas foi de 125 a 150% acima do que era esperado para o período. Ainda assim, devido ao longo período de estiagem, as chuvas não foram suficientes para reverter a situação de seca, explicou a coordenadora do Cemtec/MS, Valesca Rodriguez Fernandes.
 
Em Mato Grosso do Sul, em função das chuvas registradas acima da média e melhora nos indicadores, houve recuo da seca grave na região Sudeste, que passou à condição de seca moderada.
 
Por outro lado, houve avanço para seca grave (antes era moderada) na região Oeste, onde está localizado o Pantanal, em virtude das precipitações abaixo da normalidade.
 
O Monitor de Seca é um programa que analisa o comportamento do clima através de mapas meteorológicos e fornece informações que facilitam a adoção de medidas para combater os efeitos das secas. O programa já existe desde 2014 e engloba os estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix