Três Lagoas/MS, Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Domingo, 21 de Outubro de 2018, 08h:10
Tamanho do texto A - A+

Veículos Aéreos não Tripulados são apostas em operações florestais

Tornaram-se mais comuns nas empresas e os resultados mostram maior eficiência

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Divulgação/Fibria

Drones e Veículos Aéreos não Tripulados são apostas em operações florestais

São utilizadas pela Fibria, as imagens para monitoramento da qualidade das operações de colheita

Como forma de investir em tecnologia, a Fibria tem modernizado a gestão fabril do setor florestal. O Projeto Floresta Inteligente realiza diversas ações em prol de prosperar dentro da área de suas unidades.

 

Como exemplo, é utilizado drones e de Veículos Aéreos Não Tripulados (Vant) que tornaram-se mais comuns nas empresas e os resultados mostram maior eficiência, além da redução de custos dos objetos. Com o Vant, em números é possível relatar que o custo por hectare chega ser de quase 30% menor que no trabalho de campo feito com equipes utilizando GPS.

 

Em Três Lagoas, o Projeto Horizonte 2, que é a segunda fábrica de celulose construída pela companhia na cidade destacou-se em produtividade.  "Conseguimos levantar entre 500 hectares e 1.000 hectares por dia, contra um mapeamento máximo de 250 hectares/dia com equipe em campo utilizando GPS", afirma coordenador corporativo de Cadastro e Geoprocessamento da Fibria, Dennis Bernardi.

 

Com essa tecnologia, as imagens são de altíssima resolução espacial do Vant e permitem uma melhor visualização e avaliação do uso e ocupação do solo. Com isso, facilita a tomada de decisão em relação à contratação final do imóvel. 

 

São utilizadas pela Fibria, as imagens para monitoramento da qualidade das operações de colheita. Com esse material são descobertas as necessidades dos processos. "O uso dos drones aprimorou a qualidade do controle realizado e aumentou a produtividade do monitoramento, antes feito por terra e com grande dispêndio de tempo em caminhadas dentro dos talhões de eucalipto", afirma o gerente de Colheita Florestal da Fibria em São Paulo, Luiz Sérgio Coelho Cerqueira Filho.

 

Com as imagens, é possível avaliar aspectos como a formação das pilhas de madeira, disposição de resíduos, toras não baldeadas, entre outros. O uso do equipamento (drones) também é fundamental para aprimorar o desenvolvimento de pessoas.

 

A Fibria tem investido em treinar os operadores para atingir sempre a melhor qualidade e produtividade em seus processos. Anteriormente, esse trabalho era feito por meio de filmagem em solo. Hoje, o técnico de desenvolvimento filma a operação do alto, tendo de forma clara e rápida o diagnóstico do que precisa ser trabalhado.

 

Floresta Inteligente

A Fibria estruturou através do Projeto Floresta Inteligente, uma arquitetura de coleta, comunicação, análise e disponibilização de dados, em que todas as ações de novas tecnologias são centralizadas. São quatro frentes de implementação de novas tecnologias: plantio (silvicultura), colheita, logística de madeira e análise sistêmica de dados. Mais de 50 projetos já foram implementados até o momento.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix