Sexta-feira, 14 de Junho de 2024


Três Lagoas Sexta-feira, 26 de Julho de 2013, 16:21 - A | A

Sexta-feira, 26 de Julho de 2013, 16h:21 - A | A

Aplicação do fumacê contra dengue é suspensa em Três Lagoas

Samira Ayub - (www.capitalnews.com.br)

A prefeitura de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande, suspendeu a borrifcação de inseticida próprio contra o mosquito da dengue. A suspensão ocorreu devido à redução do número de casos notificados da doença e à queda da temperatura.

A decisão foi tomada há pouco mais de um mês, e segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a borrifação é a última das medidas para conter o número de casos da doença. A diretora de Vigilância e Saneamento, Neide Hiroko Yuki, o fumacê foi necessário, principalmente em março e abril para conter os casos da dengue em Três Lagoas.

Os relatórios do Departamento de Vigilância e Saneamento do município registraram 2.181 novos casos notificados de dengue, quando em fevereiro, o número de casos suspeitos foi de 931. Em abril, os números de casos notificados da doença continuaram altos (2.198) e a queda começou a ser notada em maio, quando houve uma redução de mais de 50% das notificações de dengue, ou seja, 1.001 novos casos.

Já em junho, o preocupante número de casos suspeitos de dengue caiu para84 e, neste mês de julho, como consta no Boletim Epidemiológico da Dengue, divulgado na última terça-feira (23), o número de novos casos suspeitos teve considerável queda para 28 notificações.

Com a acentuada queda da temperatura e até provocação de fenômenos de inversões térmicas (nevoeiros à noite e pela manhã), a borrifação torna-se desnecessária e seria prejudicial à saúde da população, afetada por problemas respiratórios, típicos do inverno.

“A redução do número de casos notificados de dengue não significa que podemos interromper nossa constante luta de combate ao mosquito. Cada morador deve continuar atento e retirar de seu quintal, da sua casa e de terrenos ou comércio tudo o que possa ser favorável à proliferação de mosquitos. Nossa luta não pode parar”, ressaltou Neide Yuki.

“Junto com a queda da temperatura, favorável à diminuição dos casos de dengue, não podemos esquecer que isso também é resultado do trabalho incansável das nossas equipes de Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate a Endemias, que fazem sérioe dedicado trabalho nos Bairros, de casa em casa junto às nossas famílias”, comentou a secretária de Saúde de Três Lagoas, Eliane Brilhante.

A temperatura e a baixa umidade relativa do ar impedem a rápida proliferação de mosquitos, mas as larvas continuam vivas em todos os ambientes, objetos e utensílios onde foram depositadas pela fêmea do Aedes Aegypti, como explicou o coordenador de Educação em Saúde, Fernando Garcia Brito.

“A queda da temperatura é favorável à redução do número de casos notificados de dengue, mas, infelizmente, ainda constatamos a presença de inúmeros focos criadouros do mosquito Aedes Aegyti no interior de nossas casas, comércio, terrenos e quintais”, alertou.

Por essas razões, “vamos continuar nosso trabalho, por meio das nossas equipes de Agentes de Combate a Endemias, visitando as casas e orientando nossas famílias nas ações de combate à dengue”, informou o coordenador de Endemias, Benício Donizette da Silva.

Para ele, “os casos de dengue irão manter-se baixos e poderão até acabar, se todos estiverem envolvidos no mesmo compromisso, cada um na sua casa e no seu quintal, localizando e eliminando tudo o que possa transformar-se em criadouro de mosquitos”, completou Benício.

 

Comente esta notícia