Segunda-feira, 24 de Junho de 2024


Três Lagoas Quinta-feira, 07 de Fevereiro de 2013, 11:09 - A | A

Quinta-feira, 07 de Fevereiro de 2013, 11h:09 - A | A

Cai número de mortes no trânsito de Três Lagoas

Bruno Chaves - Capital News (www.capitalnews.com.br)

A Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação e Departamento Municipal de Trânsito (Deptran) de Três Lagoas registraram uma redução do número de acidentes de vítimas fatais em acidentes de trânsito nas vias urbanas da cidade.

Em 2011, 34 pessoas foram vítimas do trânsito da cidade, o patamar foi considerado “assustador e intolerável” pela prefeitura. Em 2012, o número de acidentes com mortes caiu para 27, índice que a prefeitura ainda considera “inaceitável, trágico e intolerável”.

Para diretora de Educação no Trânsito, Creuza Ramos Monteiro Ferreira, “apesar do notado aumento do tráfego de veículos no perímetro urbano, até o dia 5 de fevereiro, não temos registro de acidente com vítimas fatal”.

Para Creuza, uma série de fatores contribuíram para a diminuição da redução de acidentes com vítimas fatais no trânsito urbano. Entre as principais ações que levaram a redução estão: campanhas educativas, blitzes constantes do Pelotão de Trânsito da Polícia Militar, aumento da fiscalização e, principalmente, “tomada de consciência da responsabilidade que todos temos no trânsito, motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres”, observa a diretora.

Alerta

Mesmo com a redução de mortes no trânsito, a diretora alerta para que a população três-lagoense continue atenta e cuidadosa. Creuza prevê um “aumento considerável da frota de veículos e um maior fluxo ainda de pedestres, nos próximos meses, nas ruas e avenidas de Três Lagoas”.

Esse aumento de veículos e pedestres, circulando pela Cidade, será resultado do impacto social e econômico da construção da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN-3) da Petrobras e outros empreendimentos já anunciados para Três Lagoas, conforme informação repassada pela assessoria da prefeitura.

“Cada um deve fazer a sua parte, com educação e responsabilidade”, resume Creuza.
 

Comente esta notícia