Sábado, 15 de Junho de 2024


Três Lagoas Sábado, 09 de Março de 2013, 15:31 - A | A

Sábado, 09 de Março de 2013, 15h:31 - A | A

Comerciárias reivindicam creches 24h em Três Lagoas

Fernanda Kintschner - Capital News (www.capitalnews.com.br)

Filiadas ao Sindicato dos Empregados no Comércio de Três Lagoas aproveitaram  as comemorações do Dia Internacional da Mulher, para apresentar uma pauta de
reivindicações as representantes do Legislativo Municipal. Um dos pleitos é a ampliação do funcionamento das creches na cidade.

A chamada creche 24 horas, o atendimento pedido é que dure o ano inteiro, sem período de recesso no final e início do ano, além de ampliação do horário em pelo menos mais uma hora diária, nos centros sem atendimento integral, para que as mães tenham tempo suficiente de sair do trabalho e buscar os filhos.

De acordo com o presidente do Sindicato, Eurídes Silveira de Freitas, desde 2007, a proposta das creches noturnas vem sendo apresentada para representantes do Poder Público.

Ele acrescenta que por diversas vezes reuniu-se com prefeitas e vereadores para detalhar melhor o pedido, que tornou-se uma necessidade, com a mudança do perfil
econômico do município, nos últimos anos, quando inúmeras oportunidades de trabalho, inclusive para mulheres, surgiram.

“De fato, são necessidades urgentes. Conheço uma mãe que paga R$ 80,00 para uma pessoa levar e buscar a criança no CEI porque o atendimento encerra antes dela chegar do serviço. Este dinheiro faz falta para a família”, contou a vereadora Marisa Rocha.

Durante a reunião, também foi levantada a possibilidade de que seja criada lei para que as empresas beneficiadas com isenção fiscais e cessão de terreno sejam responsáveis por apoiar o poder público na construção e manutenção dos centros de educação infantil.

As vereadoras assumiram o compromisso de encaminhar as reivindicações das comerciárias e marcar uma nova reunião para apresentar os resultados. “Vamos nos
unir para buscar as soluções. Esperamos que vocês nos cobrem por estes e por outros benefícios”, disse Marisa.

Segundo o Sindicato, o vereador Adão aproveitou para se colocar a disposição das servidoras e destacou que necessita delas para conseguir melhorias, sobretudo, para pessoas com deficiência que também necessitam de seus direitos a habitação garantidos.

“Já conversamos com a Márcia para que ela amplie, por meio de uma lei, a cota de moradias para pessoas com deficiência de 3% para 5%. Neste sentido, apresentamos
também uma indicação na Câmara”, enfatizou o parlamentar.

De acordo com Adão, o Ministério da Cidade garante, por meio da portaria 610, a cota de 3%. Atualmente, o Departamento de Habitação do Município contabiliza mais de 10 mil. Neste começo de ano, a previsão é de que 1.224 casas sejam entregues até o fim do mês de abril.
 

Comente esta notícia