Segunda-feira, 17 de Junho de 2024


Três Lagoas Sexta-feira, 12 de Abril de 2013, 09:54 - A | A

Sexta-feira, 12 de Abril de 2013, 09h:54 - A | A

Fibria debate os desafios da competitividade no 3º MS Florestal

Karla Machado - Capital News (www.capitalnews.com.br)

Com tema “Os desafios da competitividade florestal”, o gerente de silvicultura da Fibria/MS, José Márcio Bizon, foi um dos convidados da Mesa Redonda, e debateu sobre o tema “Desenvolvimento Florestal Sustentável de MS” no 3º Congresso Florestal de Mato Grosso do Sul - MS Florestal, realizado em Bonito.

Segundo o gerente, um dos desafios da competitividade do setor é a tecnologia empregada na área da silvicultura.

“Para desenvolver novas tecnologias é necessário que o setor se una para que esse desenvolvimento seja compartilhado e Mato Grosso do Sul, e o Brasil, continue sendo competitivo no setor florestal”, declara Bizon.

Em sua terceira edição, um dos principais focos do evento são os desafios da competitividade florestal. Inovações para a silvicultura, estudos, práticas, produtos e serviços que possam contribuir com a redução de custos, aumento da produtividade ou otimização de recursos.

Durante a abertura do evento, a vice-governadora Simone Tebet, ministrou uma palestra sobre o setor florestal e comentou sobre os resultados que a área trouxe para o Estado.

“Hoje este setor é responsável por 11% na participação das exportações do Estado, e digo que Mato Grosso do Sul, se não é o melhor do mundo, é o melhor do Brasil para se investir em florestas”, afirma Simone.

A base florestal da Fibria no Mato Grosso do Sul forma uma área de 229 mil hectares plantados com eucalipto e de 99 mil hectares de área destinada à conservação ambiental.

O evento também contou com palestras que contextualizaram o cenário de competitividade e a realidade das indústrias de base florestal abordando temas como legislação, mão de obra, infraestrutura e desoneração tributária.

Sobre a Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria possui capacidade produtiva de 5,25 milhões de toneladas anuais de celulose, com fábricas localizadas em Três Lagoas (MS), Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint venture com a Stora Enso.

Em sociedade com a Cenibra, opera o único porto brasileiro especializado em embarque de celulose, Portocel (Aracruz, ES). Com uma operação integralmente baseada em plantios florestais renováveis localizados nos Estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Bahia, a Fibria trabalha com uma base florestal total de 958 mil hectares, dos quais 336 mil são destinados à conservação ambiental.

Em outubro de 2012, a companhia firmou aliança estratégia com a norte-americana Ensyn para investir no segmento de combustíveis renováveis a partir de madeira e biomassa.

 

Comente esta notícia