Sábado, 15 de Junho de 2024


Três Lagoas Segunda-feira, 15 de Setembro de 2014, 14:12 - A | A

Segunda-feira, 15 de Setembro de 2014, 14h:12 - A | A

Indústria de celulose tem protestos por salário

Fernando Hassessian (www.capitalnews.com.br)

Funcionários das indústrias de papel e celulose Fibria e International Paper organizaram na manhã desta segunda-feira uma manifestação em frente às fábricas. O protesto foi organizado pela Sititrel - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel e Celulose de Três Lagoas e terminou por volta das 10 horas.

Segundo o sindicato, cerca de 600 funcionários participaram do movimento e não entraram em seus postos de trabalho. “É muito gratificante ver que a categoria está unida e ciente do que realmente querem”, comemorou o presidente do Sindicato, Almir Morgão.

Os manifestantes reivindicam aumento real de 2% acima da inflação, o que dá, aproximadamente, 8,3% sobre o atual salário. Por outro lado, as empresas ofereceram reajuste de apenas 0.63%, o que causou descontentamento dos líderes sindicais. “Essa proposta das empresas é inaceitável, os empregados sofreram com a inflação, precisamos de um reconhecimento maior”, explicou Morgão.

O Sititrel informou que espera um posicionamento das empresas até sexta-feira, 19, caso não haja um avanço as negociações irão para o judiciário. Amanhã (16) o movimento será organizado na empresa Eldorado Brasil.

Entre os manifestantes estiveram os sindicatos do Estado de São Paulo: Limeira, Mogi Guaçu, São Paulo capital, entre outros.

Outro lado

A Fibria confirmou o ato, porém comunicou ao Capital News que a ação não teve a adesão de 600 funcionários, mas que estes teriam sido impedidos de trabalhar pelos sindicalistas, que bloquearam a entrada dos mesmos durante a mudança de turno. A empresa afiram que foi pega de surpresa pela manifestação e que apesar do ocorrido, irá conduzir as negociações normalmente.

Confira a nota emitida por meio de sua assessoria:

A Fibria informa que está em processo de negociação coletiva com o sindicato da indústria de Três Lagoas (MS). A empresa foi surpreendida na manhã de hoje pelo bloqueio da entrada de sua unidade de Três Lagoas (MS) por veículos ligados ao sindicato, o que impediu e atrasou a entrada dos nossos funcionários.

A Fibria entende que manifestações fazem parte do regime democrático, desde que sejam pacíficas e respeitem o direito de ir e vir dos cidadãos. Com relação ao processo de negociação anual, a Fibria apresentou a sua proposta final no dia 29/08/14 e aguarda a realização de assembleia por parte do sindicato para que a proposta seja apreciada e votada pelos empregados.
 

Comente esta notícia