Sexta-feira, 14 de Junho de 2024


Três Lagoas Segunda-feira, 18 de Agosto de 2014, 14:25 - A | A

Segunda-feira, 18 de Agosto de 2014, 14h:25 - A | A

Promotor cobra apuração de atos obscenos

Gilson Giordano - Capital News (www.capitalnews.com.br)

Após ver a imagem da cidade “arranhada”, com as cenas de nudez registrada por ocasião de um evento automotivo na cidade, o promotor de Justiça Antônio Carlos Garcia de Oliveira, enviou ofício ao delegado Vitor Lopes, da Regional de Polícia Civil, requerendo a apuração dos fatos. Junto ao ofício, foram anexadas reportagens divulgadas por alguns veículos de comunicação mostrando mulheres total ou parcialmente nuas em vários locais da cidade, em particular em determinado posto de combustível, durante a realização do evento.

De acordo com o ofício, as mulheres praticaram Ultraje Público do Pudor, tipificando o artigo 233 do Código Penal (ato obsceno).

Não está descartada a participação dos jornalistas que assinaram a matéria na oitiva a ser feita pelo Delegado de Polícia, em Três Lagoas, “visto que possuem as filmagens e as fotografias realizadas em seus meios de comunicação”, observou o Promotor.

Até a Polícia Rodoviária Federal (PRF), durante a Operação Falco, realizada no fim de semana em Três Lagoas, constatou que ocorreram, realmente, cenas de nudez protagonizadas por mulheres. “Foi verificado também aglomeração excessiva de pessoas em cima da pista (parte urbana da BR-262) próximo a estes estabelecimentos (posto de combustível), com a presença inclusive de crianças e adolescentes.

Casos de pessoas seminuas em veículos abertos e motos também foram verificados durante o período da festa”, conforme texto da assessoria da PRF. A festa a que se referiu a PRF seria o Motoshow que estava sendo realizado longe desses locais, na Arena Mix, portanto sem qualquer ligação com os episódios ultrajantes ao pudor.
 

Comente esta notícia